Ano de 536 terá sido o pior ano para se viver na Terra devido a névoa misteriosa


O professor de história de Harvard Michael McCormick, depois de vários anos a estudar as catástrofes da Europa, chegou à conclusão que o pior ano para se viver na Terra terá sido o de 536 d.C. Devido a uma névoa misteriosa.

O historiador estudou os últimos 2000 anos quanto às suas catástrofes. Foi assim que chegou à conclusão de que 536 d.C. Foi o início do pior período na Terra, de acordo com o artigo publicado na revista académica Science.

Misteriosa névoa cobre Europa, Médio Oriente e Ásia

Tudo se deveu a uma névoa misteriosa que cobriu toda a Europa, o Médio Oriente, e parte da Ásia, ao longo de 18 meses. Por isso o sol não tinha a mesma intensidade, levando a uma queda da temperatura entre 2.5 e 1.5 graus. Iniciou-se a década mais fria dos últimos 23 séculos.

Esta névoar levou até a que na China, durante o verão, se registasse neve. Muitos países da Ásia e da Europa viram colheitas agrícolas dizimadas, levando a época acérrima de fome.

Erupção Vulcânica e a Época Obscura

Assim como aconteceu em 2010, na Islândia, quando uma erupção vulcânica cobriu o céu de cinzas, em 536 também ocorreu a mesma coisa, mas por um período bem mais prolongado, levando a uma época de fome extrema e baixas temperaturas.

A primeira metade do século VI é considerada pelos historiadores como a época obscura, mas só agora se soube o verdadeiro motivo pelo qual este fenómeno aconteceu.

Em 536 deu-se uma tremenda erupção vulcânica na Islândia, tendo espalhado cinzas que cobriram uma grande parte do hemisfério norte. Em 540 e 547 sucederam-se outras erupções vulcânicas de grandes dimensões.

Além da névoa de cinzas vulcânicas, a peste bubónica chegou às costas da Europa em 541, o que levou a uma crise económica europeira até ao ano de 640.