Cientistas apontam mutações no novo coronavírus que pode aumentar a infecção

Publicidade

Cientistas americanos conseguiram identificar mutações no novo coronavírus, uma em especial, que altera o revestimento de proteína do Sars-Cov-2, que aumenta a sua capacidade de infecção.

O revestimento do Sars-Cov-2 ficou com mais “espinhos”, e por isso aumenta consideravelmente a capacidade do novo coronavírus infectar células humanas.

No entanto, não se sabe se esta mutação implica um agravamento dos sintomas, ou se poderá aumentar a mortalidade e letalidade.

Fechar Artigo Promovido E Ver Vídeo ×