Civilizações antigas que quase ninguém conhece


Toda a gente conhece as grandes civilizações antigas, como a Egípcia, Grega ou Romana. Mas quase ninguém conhece estas 15 civilizações antigas. Confere quais são e vê se já conhecias.

Várias lendas foram inspiradas na antiga civilização real Axum, um império muito poderoso localizado no norte da Etiópia. Entre os séculos III e VI d.C., o império Axum atingiu o seu auge, sendo o maior mercado do nordeste africano. Perdeu o seu poderio quando árabes e persas passaram a dominar os territórios comerciais.

A civilização Kush teve a sua origem no ano de 8000 a.C., pelo que se pôde apurar pelos artefactos cerâmicos que se encontraram em Kerma, no sul da Núbia, nordeste africano.

Além de ser uma sociedade muito complexa, ela era também muito estratificada. A agricultura em larga escala era o grande poder desta civilização antiga. Eles tinham uma escrita única que, ainda hoje, é um verdadeiro mistério – meroíta. Ninguém sabe o que aconteceu para que este povo tivesse desaparecido.

Embora não se saiba a localização exacta do reino Yam, de acordo com os documentos analisados por historiadores indicam que eles estavam situados no norte do Chad.

Conhece-se este reino africano por meio de textos egípcios que datam do Império Antigo.

O império Xiongnu dominou grande parte da Ásia Central durante um período de mais de 500 anos. Os chineses chegaram mesmo a defronta-lo na fronteira norte para conquistar o seu território. A Grande Muralha da China foi construída precisamente por causa das constantes invasões do Xiongnu.

O estado Greco-Báctrio surgiu no século III a.C., depois da morte de Alexandre, o Grande, localizado na região que hoje é o Tajiquistão e o Afganistão. Um reino que combinava a cultura oriental com a cultura grega de uma forma única. As suas moedas são a principal fonte da sua história.

O povo Yuezhi governou desde 128 a.C. A 450 d.C. A Báctria e Índia. Na sua origem eles eram tribos nómadas que se localizavam no noroeste da China. Viviam de negócios com seda, jade e cavalos. Estiveram em conflito com o império Xiongnu, levando-os a mudar-se para oeste. Lá conquistaram os greco-bactrianos e afastara, o povo Saka.

Foi nessa altura que se transformaram numa sociedade sedentária de economia agrícola. Foram eles que ajudaram na propagação do budismo na China.

Este reino estava situado na actual Síria, sudeste da Turquia e norte do Iraque e existiu entre os séculos XVI e XIII a.C. Crê-se que teriam crenças hindus, com fé na reencarnação, karma e cremação. Foram muito poderosos e influentes, havendo indícios que levem a pensar que eles se expandiram graças à queda do Império da Babilónia.

O Reino indo-greco foi liderado por reis helénicos durante os anos 190 a.C e 10 d.C. Estavam localizados na Índia. Estes reis fizeram uma combinação perfeita entre línguas e símbolos indianos e gregos. Além disso, fundiram as religiões hindus, budistas e gregas. Acabaram por desaparecer depois de invadidos pelos indo-citas.

A cultura Nok surgiu na Idade do Ferro e crê-se que tenha-se ficado pelo norte da Nigéria actual entre os anos 500 a.C. E 200 d.C.

Os Etruscos viveram no norte da Itália entre os séculos VIII e III a.C. A sua decadência dá-se com a tomada por parte da República Romana. As cidades etruscas eram estados independentes, conectadas pelo idioma, religião e cultura. Carfacterizava-se por uma sociedade agrícola e comercial forte.