Nunca permitas que o teu parceiro te agrida verbalmente


A violência não se resume à física. Agressões verbais podem ferir tanto como um estalo. Por isso nunca podes permitir que o teu parceiro te agrida verbalmente.

Palavras e acções podem ser consideradas violência doméstica também. Ofensas, insultos, humilhações são formas de violência da mesma forma que um murro, um estalo ou um pontapé.

Violência Verbal

Normalmente associamos violência doméstica a agressões físicas. Mas as agressões verbais causam danos irreversíveis na pessoa, tanto quanto as agressões físicas.

Podemos falar de agressão verbal sempre que se dizem insultos, sempre que se humilha ou grita. Embora não marquem o corpo, a alma fica ferida e causa danos enormes na auto-estima e no amor próprio fazendo com que a vítima se sinta inferior e até merecedora de tais palavras.

Estes agressores sabem aquilo que fazem. Eles querem transformar o outro em alguém dependente, com medo, inseguro de forma a que faça todas as suas vontades.

Agressões verbais que não podemos tolerar

Ninguém tem o direito de nos magoar. Por muito que gostemos de alguém, não podemos tolerar que nos façam sentir inferiores, um lixo, muito menos culpados de algo que nem sabemos.

Se o teu parceiro te diz estas coisas e tem estas acções, é hora de olhares para ti, para dentro de ti, e pensares bem no que queres para a tua vida. Porque nós nascemos para ser felizes.

Humilhações

Humilhações nunca podem ser toleradas. Frases como “mulheres não sabem lidar com dinheiro”, “mulheres devem cingir-se à cozinha e à tábua de passar”, “não serves para nada”, ou coisas do género, nunca podem ser permitidas.

Conversas onde se julgam opiniões, ou se desvalorizam sonhos e projectos pessoais são também formas de humilhação. Lembre-se que você tem de lutar pelo que é, pelo que quer e pelos seus sonhos.

Culpabilização e Acusação

O seu parceiro diz-lhe que tudo de mau que acontece é culpa sua? Acusações e culpabilizações por tudo o que de mau acontece é só mais uma forma de mantê-lo em baixo, sentir-se inferior.

Críticas

Ninguém tem o direito de o julgar, muito menos criticar pelo que é ou pelo que faz. Um parceiro agressor, seja homem ou mulher, sempre fará com que pareça que o outro não sabe fazer nada e por isso critica por tudo e por nada.

Ao minar a auto-estima e auto-confiança, a vítima sente que tudo o que faz está errado. Por muito que se esforce nada adianta.

Um relacionamento pode, sim, admitir críticas, desde que estas sejam construtivas.

Ameaça

Ameaças normalmente precedem a violência física. A partir do momento em que existe uma ameaça, cuidado. Não tardará a surgir a violência física.

Esta é mais uma forma que o agressor tem de manter a vítima sob controlo, pois o medo faz com que cedam aos seus desejos e vontades.

Ordens

Outro tipo de agressão verbal é a forma como se trata o parceiro, como se fosse um escravo. Esta é uma das atitudes mais degradantes que existem. Mais do que as ordens que dá, a forma como exige que cumpra diz-nos muito a respeito do nosso parceiro. Não existe problema em pedir algo, desde que se diga por favor. Não pode haver exigências, muito menos quando elas vêm seguidas de humilhações.