ANEDOTA: O derradeiro teste de fidelidade

Publicidade

Eu era feliz.

A minha namorada e eu estávamos juntos há mais de um ano, por isso decidimos casar.

Publicidade

Só havia uma coisa que me chateava, era a irmã mais nova dela.

A minha futura cunhada tinha 18 aninhos, usava minissaias e grandes decotes.

Tinha a mania de vir se abaixar bem perto de mim, e tive muitas vezes visões agradáveis da sua roupa interior.

Um dia ligou-me e convidou-me pra ir ver os convites do meu casamento.

E lá, disse-me que em breve eu estaria casado, e que ela tinha sentimentos e desejos por mim que não conseguia e nem queria esquecer.

Ela queria fazer amor comigo somente uma vez antes de eu me casar.

Eu fiquei em total choque e nem consegui dizer uma palavra.

Ela disse: “Vou lá pra cima para o meu quarto, se quiseres, só tens de subir e apanhar-me.”.

Fiquei atónito.

Estava congelado enquanto a observava subir as escadas.

Quando ela chegou ao topo da escada, puxou a calcinha e atirou-a pela escada para mim.

Eu fiquei lá por um momento, então virei-me e fui direto para a porta da frente.

Abri a porta e saí da casa.

Caminhei em direção ao meu carro.

O meu futuro sogro estava lá fora.

Com lágrimas nos olhos abraçou-me e disse:

“Estamos muito contentes que tenhas conseguido passar no nosso pequeno teste.

Não podíamos pedir um melhor homem pra nossa filha, bem- vindo à família”.

Moral da história:

“Guarda sempre os preservativos no carro”.


guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Artigo anteriorOs poderes desconhecidos dos tremoços
Próximo artigoANEDOTA: Ele estava desesperado para dormir
Livro Grátis de Apostas Desportivas